Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

o fariseu

O mundo ao contrário

28.11.15

Imaginem por um minuto que.... os aliados tinham perdido a II Guerra Mundial. Que a Europa tinha ficado subjugada durante as últimas décadas a fanáticos e nazis, tendo os seus recursos pilhados, queimados, violados. Constantes revoltas, luta armada, guerra ininterrupta, por aí fora.
Portugal, como país periférico de pouco interesse geo-estratégico, é dos primeiros a ficar votado à fome e abandono. Nas ruas luta-se por sacas de arroz e o povo anda à mercê de meia dúzia de lideres tribais. Tiros, bombas, morteiros.
Guerra e morte todos os dias.

No Médio Oriente as revoluções islâmicas falharam, estando a religião finalmente afastada do poder politico e justiça, mantendo assim a liderança mundial na investigação médica e cientifica desde o Séc XIII, continuando a via racionalista no mundo árabe. Sociedades prósperas, democráticas e tolerantes, que legaram ao mundo a matemática, as primeiras universidades e hospitais.

Arriscando a vossa vida e da vossa família, decidem tentar fugir para o Médio Oriente. Juntam todo o dinheiro que conseguem, pagam a traficantes e rezam para que não morram todos na viagem.

Entretanto tomam conhecimento de abaixo-assinados, movimentos e vozes que se levantam contra a vossa chegada ao Médio Oriente. Alguns locais pesquisaram que na Europa existiam facções terroristas do tipo ETA em Espanha ou IRA na Irlanda. Apesar de vocês não terem absolutamente nada a ver com o caso, são europeus, portanto bárbaros terroristas.
O medo e o ódio são propagados em pouco tempo por boçais mensagens pejadas de ignorância e preconceito. Vocês são uma ameaça à segurança e ao bem estar das populações, uma praga a abater, apesar de todos os estudos económicos demonstrarem que vocês contribuem mais do que tiram da economia.
Não interessa. Os justiceiros de plantão destilando xenofobia travestida de bom-senso, decidiram que o genocídio por que passa o vosso povo é uma treta comparada com meia dúzia de sem abrigo locais ou mesmo uns amigos que perderam uma casa por conta de um negócio que correu mal.
Têm muita pena e até vão à igreja todos os domingos, mas vocês nasceram no lado errado do mundo, portanto problema vosso.

Entretanto os mesmos lideres que vendem armas e compram petróleo aos lideres tribais que mantêm o vosso país refém, estabelecem quotas.
Decidem quantos de vocês podem entrar nesse paraíso de tolerância, quantos vão ser expulsos (se não morrerem pelo caminho, claro).

E agora? Pegam nos vossos filhos e fazem o quê?

AT-OlharesdoBrasil-SaoPaulo-20150828-14-1024x713.j